CLIENTE  PERDIGÃO

AGÊNCIA DM9DDB

PRODUTORA CINE

GR A

   CIAS

   

Gostamos bastante da fotografia da nossa principal referência - o filme de Google - mas queremos trabalhar também com uma luz levemente difusa em alguns momentos para dar um toque de appetite appeal ao filme. Uma fotografia levemente contrastada e com jogo de tons nas luzes que nos ajuda na direção de arte e cria ambientes diferentes em cada locação. A direção de arte vai nos ajudar a compor essa ambientação, pincelando elementos de cores fortes para criar os destaques e a saturação necessária. Será importante usar as variações de horários e locações das cenas a nosso favor na fotografia.

 

Outro ponto importante será trabalhar com cuidado com os objetos de cada situação, a escolha das cadeiras, detalhes como o tipo de louça e jarras que vemos nessa composição nos darão bem a leitura de cada universo que estamos mostrando - casa, jardim dos amigos, praça, varandas... cada um com estilos e detalhes peculiares, que dizem muito sobre o tipo de evento e os personagens. Estes elementos entram em cena de forma sutil, sem tirar a atenção dos protagonistas e produto, porém serão fundamentais na estética e narrativa do filme. 

 

Achamos interessante explorar muito bem cada situação, além de criar mais algumas no mesmo conceito e ir mostrando detalhes inesperados dentro de cada uma, criando uma dinâmica pro filme, além de transmitir melhor o conceito de improviso.

 

Os movimentos de câmera e cortes deste filmes serão bem variados e serão o fio condutor da narrativa. Queremos variar bem nesses recursos, pra que não fique cansativo e ajude na leitura das cenas. O. Ritmo é dinâmico, chicotes, crash zoom, jump cuts, além de enquadramentos variados como um plano zenital e uma câmera que gira em 360º - por exemplo. Todos esses recursos estudaremos com cuidado na nossa decupagem e vamos definir essa costura perfeita no desenho de shooting e também na montagem do filme, assim como na ref abaixo.

Além das cenas que estão no roteiro, gostaríamos de propor algumas novas que pensamos que poderão acrescentar ao filme e também abrir opções diferentes para a montagem.

 

CENA 1

Na primeira cena vamos brincar um pouco com o ambiente em que o casal está. Para um jogo de câmera dinâmico e divertido, assim como em Google Pixel 2, colocaremos o marido se exercitando em uma bicicleta ergométrica dentro de casa quando ele sente o cheiro e solta a primeira pergunta.

A mulher, do banheiro e com uma toalha enrolada em sua cabeça, responde. O vizinho surge por entre a cerca viva confirmando que sim, ele está fazendo o churrasco na terça. A primeira cena é para resumir o clima todo do filme, descontração, facilidade e churrasco a qualquer hora, em qualquer dia. 

 

CENA 2

Em movimento de câmera rápido chegamos na segunda situação: amigos fazendo churrasco sob a chuva. Um deles dá uma mordida na linguiça e responde com a cabeça mastigando e olhando pra câmera.

SU GE     STÕES

Adoramos os roteiros! Ficamos animados em poder pensar esse filme e dividir com vocês a nossa visão. Gostamos dessa pegada que mistura uma linguagem descontraída, espontânea e bem humorada e que, ao mesmo tempo, precisa de uma decupagem bem trabalhada nos cortes e movimentos de câmera. A interação do narrador com os personagens é um recurso legal e que nos dá abertura para brincadeiras que deixarão o filme mais natural e com um toque de non sense sutil. Vamos trabalhar com cuidado e sensibilidade para que o acting e essa relação seja o mais fluida e espontânea possível, sem parecer forçado.

 

É uma ótima combinação pra fazermos um filme moderno, divertido e marcante - trazendo pra marca uma campanha memorável que conversa muito bem com o conceito do produto: praticidade, espontaneidade e muita qualidade.

Pensando em outras opções de cenas para o filme, podemos brincar com essas locações, enriquecendo o conceito de improviso - poderíamos pensar por exemplo na situação de um churrasco numa praça em frente da casa, as cadeiras que cada um trouxe de casa, diferentes umas das outras. O pessoal arma ali uma mesa de Ping pong e uma menina dá uma tacada, vira, dá uma mexida nas carnes que estão na churrasqueira, responde o narrador e volta a jogar.

 

Outra situação que pode ser legal, é um casal com uma varanda normal de apartamento. O lugar é meio apertado, mas cabem duas cadeiras além da churrasqueira. 

Uma sugestão é termos um trailer ou motor Home  - que de cara transmitiria essa noção de praticidade e também traz pro filme uma pincelada de aventura que achamos divertido também.

CENA 3

Transição para a varanda gourmet , cortamos de um personagem pra outro usando uma espécie de jump cut rápido  - mostrando uma pessoa se servindo, alguns sentados num sofá e outros em cadeiras - percebendo que está tudo meio improvisado e claramente que vieram direto de uma reunião de trabalho - o figurino será um elemento a mais para nos ajudar na narrativa. Poderíamos ter um chicote para uma pessoa que responde um email em seu notebook com uma mão, segura uma asinha de frango com a outra e fala com o narrador em seguida. Os personagens interagem com o narrador como se este fosse mais um amigo ali naquele churras em cima da hora, num almoço que quebra a rotina da semana.

 

CENA 4

A câmera se movimenta quase que na velocidade de um olhar, que vira para outra situação e entra nela. Os amigos estão no quintal de uma casa, fazendo um churrasco. Uma porta aberta e eles entram e saem para acompanhar o jogo de futebol na TV. O pessoal grita um gol lá de dentro e fechamos em crash zoom e logo um slow em uma das pessoas mordendo a costelinha enquanto rola o gol, ele dá uma piscadinha pro narrador e faz um movimento com o ombro, concordando.  

Quero encontrar bons atores, que façam bem personagens de variados tipos e que saibam muito bem improvisar, sem overacting e bastante naturalidade.  A busca por esses personagens será um dos itens principais do nosso trabalho de pre-produção: quero encontrar bons atores e tentar que não sejam todas aquelas caras mais batidas de publicidade. 

A Decupagem é um ponto chave pro nosso filme. Nela vamos poder explorar pequenas situações dentro de cada cena que irão enriquecer muito o roteiro. Uma piscada de olho, uma ação inesperada, cortes ousados, planos surpreendentes e micro situações que acontecem em cada momento do filme. 

  RE  F

O acting deve ser naturalista e espontâneo. Vamos ter muita sofisticação em nossos recursos de cortes e edição de câmera e é importante criar esse contraponto no acting, pra criar esse tom de humor. Os personagens estão em situações bem naturais pra eles, como se fazer um churrasquinho fosse uma coisa bem corriqueira, a qualquer momento. Queremos trabalhar desse jeito natural mesmo nos pequenos detalhes - servindo a carne, colocando na grelha, comendo, tampando a boca pra responder pra câmera, e atuando como se aquele locutor estivesse sempre ali, no meio do churrasco. O espectador é quem se surpreende com aquela interação, pros personagens aquilo é super normal.  

Outro detalhe cinematográfico que vamos adicionar é o de movimentos de câmera diferentes e transições bem pensadas, compostas e dinâmicas, como as refs abaixo. A ideia é, por vezes, que o movimento da câmera seja impulsionado pelo produto ou movimento dos personagens. 

CINE  M A

TOGRA  FIA   

O produto vai estar ambientado e inserido nas situações de forma despojada, não mecânica. Colocaremos o produto como protagonista de forma natural e sutil, já que vai participar na maioria das ações nas cenas. Podemos iniciar alguma cena enquadrando o produto no prato e depois subirmos para a pessoa, por exemplo, ou uma pessoa jogando pro alto e comendo, a mão virando a linguiça na churrasqueira - sem parecer forçado.  

Nossa trilha e sound effects precisam  trabalhar junto com a nossa decupagem e fazer crescer a linguagem e narrativa do filme. Esses elementos acompanham o ritmo do filme e cadência do narrador, conduzindo a peça. Vamos explorar bem o metro do filme para dar movimento no áudio e crescer as transições. O narrador vai trabalhar com mudanças de tom conforme o momento das cenas, descontraído e bem humorado como o clima todo do nosso filme. Escolhemos repetir uma referência propositalmente para que vocês assistam ela novamente, desta vez com a atenção voltada ao conjunto trilha/ sound design e narração. Essa referência nos mostra o quão essencial é termos esse equilíbrio do caminhar desses elementos.

Ao final vamos fazer os planos de appetite appeal, mostrando de perto os produtos lindos e apetitosos, daquele jeito que dá até pra sentir o cheirinho do churrasco pelas imagens. Eles estarão ambientados, vamos inclusive captar uma cena de produto e consumo em cada set. O filme abaixo demonstra a colocação do produto nesta forma orgânica.